Quais são as implicações do consumo de combustível fóssil?

Quais são as implicações do consumo de combustível fóssil?

Os combustíveis fósseis são os meios de energia mais comumente usados ​​no mundo moderno. Principalmente na forma de petróleo, gás natural e carvão, esses combustíveis alimentam carros e máquinas, aquecem residências e fazem funcionar a maioria das fábricas. Embora o combustível fóssil tenha sido usado pelos humanos desde os tempos antigos, a aplicação massiva de seu poder não começou até a Revolução Industrial da década de 1850. No século 21, os humanos estão começando a entender as principais limitações dessas formas de energia, bem como as graves implicações negativas do consumo de combustíveis fósseis.

O termo combustível fóssil refere-se aos processos geológicos que criam material combustível. A matéria animal e vegetal, enterrada por milhões de anos sob a superfície da Terra, eventualmente se aquece e se comprime para formar combustível utilizável. O processo leva cerca de 30 milhões de anos para ser concluído e, portanto, é um método extremamente lento de criar energia. Embora existam vastas reservas de combustível fóssil, o aumento dramático no consumo de combustível fóssil desde o século 19 levou ao esgotamento severo dessas reservas. Uma das conseqüências mais devastadoras do consumo de combustíveis fósseis é simplesmente que as reservas estão se esgotando enquanto a sociedade continua massivamente dependente delas.

Embora sejam inerentemente uma substância natural, o consumo de combustíveis fósseis leva a um aumento severo da poluição do ar, da água e da terra. Para gerar energia, o combustível deve ser queimado, liberando compostos químicos no ar. Dióxido de carbono, enxofre e óxidos de nitrogênio são três dos resultados mais comuns da queima de combustíveis fósseis, os quais levam a danos atmosféricos na camada de ozônio, além de contribuir para a chuva ácida.

Nos centros urbanos, a queima em massa de combustível para mover carros também libera fumaça suficiente para causar névoas poluentes conhecidas como poluição. Além de criar uma névoa marrom-alaranjada nada atraente sobre a área afetada, a poluição atmosférica também pode ser potencialmente prejudicial aos humanos que a inalam. Muitos especialistas acreditam que a poluição atmosférica pode ser uma causa que contribui para doenças respiratórias, como a asma, além de potencialmente piorar os problemas pulmonares ou respiratórios já existentes em algumas pessoas.

O consumo de combustível fóssil também requer que o combustível seja transportado das reservas ao redor do mundo. Infelizmente, precauções de segurança incertas e não aplicadas podem levar a derramamentos de óleo ambientalmente devastadores à medida que o combustível é transportado pelos oceanos. Quando os derramamentos de óleo ocorrem perto da costa, o impacto costuma ser mais pronunciado devido à grande quantidade de animais marinhos e costeiros, peixes e aves que vivem na região. Alguns derramamentos de óleo resultaram diretamente na morte de mais de 100.000 animais, além de dizimar as indústrias pesqueiras por anos.

As muitas implicações negativas do consumo de combustíveis fósseis levaram a uma mudança nas políticas públicas em grande parte do mundo desenvolvido. Líderes e cientistas agora estão insistindo ativamente na invenção e aperfeiçoamento de fontes alternativas de energia para substituir os usos tradicionais de combustíveis fósseis. Independentemente dos impactos ambientais do consumo de combustíveis fósseis, as reservas cada vez menores tornam a implementação de combustíveis alternativos uma corrida contra o tempo. Graças à pressão ambiental e científica, a maioria das novas fontes de energia exploradas no século 21 são renováveis ​​e seguras para o planeta. As energias solar, eólica, hidrelétrica e geotérmica procuram se tornar importantes substitutos para o consumo de combustíveis fósseis.

Go up